sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Opinião: Matéria Escura

Título Original: Dark Matter (2015)
Autor: Blake Crouch
Tradução: Margarida Filipe
ISBN: 978989651343
Editora: Suma de Letras (2016)

Sinopse:

Será que aquilo que vemos é de facto real?

"Estás satisfeito com a tua vida?" Estas são as últimas palavras que Jason Dessen ouve antes de ser deixado inconsciente por um homem mascarado. Quando desperta, está amarrado a uma maca, cercado por estranhos, e um desconhecido sorri-lhe, dizendo: "Bem-vindo de volta, meu amigo." Neste mundo para o qual acaba de acordar, a vida de Jason não é a que conhece. A sua mulher não é a sua mulher. O seu filho nunca nasceu. E Jason não é um simples professor de física, mas um génio famoso que conseguiu algo verdadeiramente notável, algo impossível. Qual dos dois mundos é um sonho? E mesmo que a casa de que ele se lembra seja real, como pode Jason voltar para a família que ama? As respostas estão numa viagem maravilhosa e assustadora, que irá forçá-lo a enfrentar o seu lado mais obscuro, enquanto luta contra um inimigo terrível, aparentemente imbatível.

Um thriller de ficção científica com um argumento brilhante, implacavelmente surpreendente, do autor de "Wayward Pines", sobre escolhas, caminhos não percorridos, e quão longe somos capazes de ir para reivindicar a vida com que sonhamos.

Opinião:

Senti que Matéria Escura tinha tudo para me conquistar assim que li a dedicatória: "Para todos os que já se interrogaram como teria sido a sua vida se tivessem enveredado por outro caminho." Já estava curiosa com este livro, de autoria de Blake Crouch, que nos apresentou a cidade de Wayward Pines, mas depois de ler a dedicatória percebi que, desta vez, o tema iria criar maior empatia. Claro que às vezes dou por mim a pensar nos diferentes percursos que poderia estar a percorrer, o que faz com que o convite a uma leitura que aborda este assunto foi imediatamente aceite.

Jason Dessen é o protagonista da história. Marido e pai de um filho, trata-se de um homem que acredita que poderia ter tido mais sucesso profissional. Mas a vida seguiu outro sentido. É então que ele se depara com uma jornada inimaginável e dá por ele a lutar pelo que o faz realmente feliz. Ao início pareceu-me uma figura banal, mas o seu percurso demonstra a sua complexidade e fez-me ficar a torcer por ele.

O desenrolar dos acontecimentos é muito cativante. Ao início, a novidade de alguns factos causa uma sensação de estranheza, mas rapidamente me habituei aos novos conceitos e ideias e dei por mim a louvar a originalidade do autor. Já numa fase final da leitura, dei por mim a ficar impressionada e algo chocada com uma exposição realizada, na qual se prova que quem nós somos não é apenas resultado de grandes decisões, mas também de todas as pequenas escolhas que fazemos. Afinal, esta também podem provocar grandes mudanças em nós e levarmos a praticar ações que, agora, consideramos impensáveis.

A sucessão de acontecimentos leva Jason não só a lutar pelo que realmente quer como também a travar uma jornada interior na qual a reflexão sobre a individualidade tem lugar de destaque. E, com isto, também acabei por dar por mim a avaliar a minha vida atual e a considerar outras possibilidades. Esta leitura fez-me sentir grata pelo que tenho e fez perceber que não vale a pena perder tempo nos "ses" da vida, sendo que o melhor é sempre olhar para a frente.

Nesta história, tudo acontece depressa, o que faz  leitura avançar a um ritmo rápido. Além disso, existe sempre uma sensação de mistério, que é acentuada pelas muitas reviravoltas que a trama sofre e que me deixaram com os nervos à flor da pele. E é curioso pensar que, apesar de se tratar de uma obra de ficção científica, toda a narrativa é movida pelo amor. Isto faz pensar que as pessoas que nos são queridas é que fazem tudo ter valor.

Matéria Escura é assente em muitos conceitos ou teorias científicas reais. Estas são apresentadas de forma a que mesmo quem não perceba nada destes temas consiga ter, pelo menos, uma ideia geral e, deste modo, compreender de que forma tudo é aplicado na história. E tudo isto é feito de forma bastante convincente. Fiquei ainda agrada com a forma como o autor explorou o multiverso e o apresentou através de imagens tão simples de imaginar.

Este é, sem dúvida, um dos livros que mais me surpreendeu nos últimos tempos. Matéria Escura agarrou-me e fez-me sentir estar sempre em tensão. Quando estava a ler, não conseguia parar e sentia estar a viver todas aquelas situações com o protagonista. Quando parava, continuava com a história na cabeça e tentava imaginar o que faria se estivesse a passar por tal situação. Blake Crouch prova, mais uma vez, ter uma imaginação prodigiosa. Recomendo!

Opiniões a outros livros de Blake Crouch:
Wayward Pines - Paraíso
Wayward Pines - Revolta
Wayward Pines - Caos

Sem comentários: