quinta-feira, 21 de junho de 2018

Opinião: A Mulher Entre Nós

Título Original: The Wife Between Us (2018)
Autor: Greer Hendricks e Sarah Pekkanen
Tradução: Gonçalo Neves
ISBN: 9789896655471
Editora: Suma de Letras (2018)

Sinopse:

Aos 37 anos, a recém-divorciada Vanessa está no fundo do poço. Deprimida, a morar no apartamento da tia, sem filhos, sem dinheiro e sem amigos verdadeiros. Richard, o seu carismático e rico marido, era tudo para ela. Mas, ao descobrir que ele está prestes a voltar a casar, algo dentro de Vanessa se desfaz. A partir de agora, na sua vida, só existirá uma única obsessão: impedir esse casamento. Custe o que custar.

Nellie é como qualquer outra jovem bela e sonhadora que chega a Manhattan para começar a sua tão sonhada vida adulta. Mas a personalidade tranquila que ostenta é apenas uma fachada. Na sua cabeça perdura o segredo que a faz fugir da sua cidade natal e que a impede de caminhar sozinha para casa.

Ao conhecer Richard - bem-sucedido, protector, o homem dos seus sonhos -, Nellie começa finalmente a sentir-se segura. Ele promete protegê-la de tudo para o resto da sua vida. Mas, de repente, começa a receber chamadas misteriosas. Algumas fotografias são mudadas de lugar no seu quarto. Alguém a persegue, alguém quer o seu mal. Mas quem?

Opinião:

Sabia que A Mulher Entre Nós estava a causar furor a nível internacional, e por isso mesmo não quis perder esta leitura. Ao ter apenas a sinopse como base, fiquei bastante surpreendida com a história que encontrei. Este é um thriller familiar cheio de reviravoltas estimulantes. As ideias estabelecidas inicialmente são abaladas em mais do que uma ocasião fazendo com que seja difícil largar o livro, tal é a vontade de perceber a verdade por trás de tudo o que é narrado.

Confesso desde já que é difícil falar sobre este livro sem fazer alguma revelação que pode prejudicar a experiência de leitura de quem ainda vai apostar nesta obra. Por isso mesmo vou falar deste livro de uma forma mais abrangente. Inicialmente, as autoras apresentam-nos Vanessa, que surge como uma mulher que está a atravessar sérias dificuldades para atravessar o divórcio. A negatividade que Vanessa parece transmitir contrasta com a jovialidade e as esperanças de Nellie, uma jovem que está prestes a casar-se. A diferença entre estas figuras é marcante e proporciona momentos de leitura diferentes. Como tal, é natural haver maior interesse ou ligação com uma destas partes em detrimento da outra.

No meu caso, senti-me intrigada com as preocupações relativas ao passado de Nellie e queria descobrir ao certo que tinha levado Vanessa àquele estado. É curioso perceber que as suposições que tinha sobre as bases destas figuras e o futuro que lhes estava reservado estavam erradas. As autoras conseguem interligar estas duas vertentes de uma forma muito interessante, sendo que o leitor fica a sentir-se constantemente na ponta da navalha e com vontade de não largar o livro.

O desenrolar da trama é cativante. Admito que estranhei a forma como alguma ligações foram feitas, quase como a forçar uma linha de pensamento no leitor e sem grande relação com o que iria ser revelado. Ainda assim, consigo colocar esta questão de lado em detrimento do resultado global da obra. Esta é uma história que, apesar de alguns momentos mais romanceados, pode sugerir que algo semelhante pode ter acontecido ou estar a acontecer entre um casal.

São abordados diferentes temas ao longo destas páginas. A dor da separação, a esperança e vitalidade de uma nova relação, o amor entre familiares, a força e fragilidade de uma amizade, a abnegação que surge com a paixão, a vingança, o sofrimento que fica dos erros do passado. Contudo, o assunto mais forte acaba mesmo por ser a violência doméstica. As duas autora conseguiram apresentar esta tema de uma forma subtil, pouco óbvia, que vai surgindo aos poucos e explorando diferentes vertentes. Aplaudo a forma como retrataram as consequências da violência emocional e psicológica para a vítima, lados menos compreendidos desta agressão e que muitas vezes são difíceis de detectar.

Greer Hendricks e Sarah Pekkanen provam que as pessoas que mostram ser mais fortes muitas vezes estão quebradas, e que as mais frágeis podem estar a esconder um poder. Fiquei muito bem impressionada com A Mulher Entre Nós, um livro que em diferentes momentos conseguiu mudar todo o ponto de vista que tinha estado a criar desde a primeira página. Com personagens profundas e um enredo apelativo, as autoras apresentam-nos uma das melhoras histórias dentro do género.

Sem comentários: