sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Opinião: Os Pássaros no Fim do Mundo

Título Original: All the Birds in the Sky (2016)
Organização: Charlie Jane Anders
Tradução: Raquel Pinheiro
ISBN: 9789898869319
Editora: TopSeller (2017)

Sinopse:

Um romance original sobre o fim do mundo… e o princípio do nosso futuro.

Patricia e Laurence tornaram-se amigos quando o resto da escola decidiu marginalizá-los: Laurence, por ser um geek dos computadores, e Patricia, por ser uma suposta bruxa que fala com animais. Mas a interferência das famílias e a ocorrência de circunstâncias muito invulgares acabam por ditar o fim da amizade.

Quando chegam à idade adulta, os dois têm vidas muito diferentes, mas um objetivo em comum: Laurence tornou-se um génio da engenharia e está envolvido na criação de uma máquina de viagens intergalácticas, para salvar os humanos do colapso do planeta; e Patricia, formada na academia secreta de magia, trabalha para reparar os eternos problemas da Terra e dos seus habitantes.

Inevitavelmente, os dois amigos voltam a reunir-se, graças a uma força maior do que eles: algo gigantesco e imperial que trará o Apocalipse.
E Patricia e Laurence nem imaginam que serão as suas escolhas a determinar o destino do planeta e de toda a Humanidade.

Opinião:

Este é um livro muito diferente de todos os outros que li até aqui. Tão diferente que se torna difícil definir o seu género. Os Pássaros no Fim do Mundo tem elementos de fantasia, ficção científica, distopia, romance paranormal, entre outros. Não que seja importante rotular uma obra, mas saliento este aspecto só para que também  consigam perceber o motivo de eu dizer que esta leitura dificilmente pode ser comparada.

Patricia e Laurence são os protagonistas desta obra. É curioso ver como eles se aproximam tão naturalmente apesar de terem personalidades e vocações completamente distintas. Ela é uma bruxa amante da natureza, ele um aspirante a cientista que venera a evolução tecnológica. Contudo, os dois vivem situações semelhantes no que toca às relações com os outros. As peculiaridades de cada um são, além de características que os tornam especiais, fonte de grande problemas dentro das respectivas famílias e até mesmo na escola. Assim, ficamos felizes por eles encontrarem um no outro um apoio nos momentos mais negros.

A autora mostra-nos que a forma como vivemos a nossa infância afecta a idade adulta. Tanto Patricia comi Laurence passaram por grandes obstáculos e momentos traumatizantes. Vítimas de bullying, às vezes mesmo dentro do próprio lar, tornaram-se em pessoas com problemas de auto-estima apesar de muito terem lutado para encontrarem uma vida melhor. É possível sentir empatia pelas duas personagens e queremos muito vê-las a ultrapassar obstáculos, alguns deles colocados por Patricia e Laurence, de modo a encontrarem a estabilidade e sucesso.

O livro pode ser dividido em duas fases, sendo que a primeira se passa durante a infância dos protagonistas e a segunda na idade adulta destes. Senti maior ligação à primeira parte, talvez pela sensação de descoberta e pela forma como o ambiente familiar e escolar foi explorado. A segunda também tem aspectos originais e interessantes, mas por vezes senti-me a distrair-me da história por achar a narração pouco apelativa.

A questão do fim do mundo é convincente. A autora inspirou-se em problemas ambientais actuais causados pela actividade humana e mostrou-nos as consequência que daí podem advir. As descrições são chocantes e observar estes acontecimentos como reais e, talvez, mais próximos do que queremos acreditar, é bastante assustador. Como tal, facilmente sentimos a tensão, terror e desespero que se vive nestas páginas. E mais importante, somos alertados para o facto de podermos fazer a diferença no nosso destino.

Não há dúvida de que Os Pássaros no Fim do Mundo é um livro original e que marca a diferença. Tem sentido de humor apesar de alertar para assuntos sérios e actuais. Proporciona uma leitura que interessante, apesar de certos momentos precisarem de elementos mais cativantes. No geral, é uma boa obra que nos faz querer continuar atentos a esta autora.

Sem comentários: