quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Opinião: O Teu Aroma a Pêssego

Título Original: Melocotón Loco (2015)
Autor: Megan Maxwell
Tradução: Cristina Vaz
ISBN: 9789896578237
Editora: Planeta (2016)

Sinopse: 

Ana e Nekane gerem um estúdio fotográfico na zona antiga de Madrid. Um dia deflagra um incêndio no seu edifício e, apesar de estarem habituadas a trabalhar com modelos glamorosos, não podem deixar de se surpreender ante aqueles corajosos machões vestidos de azul que não se preocupam por o seu cabelo se encrespar ou por sujarem as mãos. Quando a objectiva da máquina fotográfica de Ana se centra em Rodrigo, o seu coração indica-lhe que já nada voltará a ser igual. Ele dá-se conta da maneira apatetada como ela está a olhar para ele e, apesar de não simpatizar com ela, iniciam uma estranha amizade. Tudo se complica quando Ana descobre que está grávida e Nekane a encoraja a cumprir a sua fantasia sexual com o bombeiro antes que a barriga, as estrias e os enjoos matinais se manifestem e o espantem. No entanto, uma mentira de Ana aos pais dará origem a um sem--fim de enredos e situações alucinantes que deixarão Rodrigo sem fala.

Opinião:

Fãs de Megan Maxwell, há um novo livro da autora em Portugal! O Teu Aroma a Pêssego contém os mesmos ingredientes que outras aventuras da escritora: é divertido, sensual, fresco e proporciona uma leitura que, mesmo que não concordemos com tudo o que acontece, consegue agarrar. Desta vez, Ana e Rodrigo são o casal sensação e a história deles não tem qualquer ligação com outros livros.

Ana é uma jovem que me provocou ideias contraditórias. Gostei do seu lado independente e apaixonado, mas não fiquei muito agrada com a obsessão que ele acabou por ter por Rodrigo. Isto porque Rodrigo podia ser um grande foco de atração, mas também acaba por não a respeitar totalmente, o que me fazia torcer para que ela não se humilhasse tanto.

E a minha percepção de Ana acabou por afetar o que senti quanto a Rodrigo. Achei engraçado que a autora tentasse mostrar que é muito difícil para os homens entenderem as verdadeiras intenções das mulheres, mas este era muito "tapado"! Apesar disso, mostrou que pode ser um bom amigo, mas teve de aprender a ser também um bom companheiro.

O desenrolar da trama é muito divertido. O facto de Ana estar a viver esta paixão enquanto está grávida é de loucos! Além disso, os esquemas em que ela entra para conseguir esconder toda a verdade dos pais fazem adivinhar um desfecho que tem tudo para ser desastroso. Enquanto lia, estava sempre à espera do momento em que tudo iria cair por terra, quer seja nas mentiras quer na revelação de sentimentos.

O desfecho não é surpreendente, mas a forma que a autora encontrou para chegar até lá entretém. No final, ficamos a acreditar que tudo é possível no amor, não só pelo que acontece ao par de protagonistas, mas também com a conclusão das personagens secundárias. E a decisão de fazer com que esta história não se alongasse para outros volumes foi a mais correta.

Ao longo da narrativa, há elementos que mostram bem que este é um livro de Megan Maxwell. A referência constante a música, nomeadamente a cantores espanhóis, os diálogos, as amizades loucas, os conceitos amorosos melosos e as personagens com sangue quente e "pêlo na venta" não deixam espaço para enganos. Se gostaram de outros livros da autora, então vão, de certeza, apreciar esta leitura. Se ainda não conhecem Megan Maxwell, aqui fica uma boa oportunidade para saberem como é a sua escrita.

Outras opiniões a livros de Megan Maxwell:
Pede-me o Que Quiseres (#1)
Pede-me o Que Quiseres Agora e Sempre (#2)
Pede-me o Que Quiseres e Eu Dar-te-ei (#4)
Surpreende-me
Adivinha Quem Sou
Adivinha Quem Sou Esta Noite 

Sem comentários: